sábado, 30 de maio de 2009

Mato Grosso (1)


Hoje fazia um tour pelas estradas de uma fazenda, no estado do Mato Grosso, Brasil, do grupo em que trabalho, e onde estou desenvolvendo umas atividades por uma ou duas semanas, quando avistamos esta serpente de aproximadamente 2 metros de comprimento. O colega, um dos responsáveis por esta unidade, habituado a diferenciar uma cobra da palha da cana-de-açúcar espalhada pela estrada, percebeu-a de imediato. Pedi que parasse a camionete. Ela continuou imóvel no seu banho de sol.
Saí do carro para procurar um ângulo melhor para a fotografar. Levantou a cabeça e me fitava. Se parava, ela fica imponente, fitando um virtual terceiro olho no meio da minha testa. Se eu dava um passo para um dos lados, sem movimentar o corpo, acompanhava o meu movimento com a sua cabeça, sem me perder de visão.
Decidi subir para cima da caçamba da camionete para que nos aproximássemos e eu fosse disparando fotografias na sua movimentação, de cima, sem deixar de solicitar ao meu companheiro para que não corrêssemos o risco de a machucar. Ela não acreditou nisso. Foi eu passar por trás do carro e me perder de vista que deslizou para o campo.
Se eu estivesse no lugar dela também não teria confiado... afinal era com um ser humano que brincava de ver quem era mais corajoso, e nisso, até por medo, o ser humano é normalmente covarde e adora levar para casa um troféu.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Grito Negro

Pelas recentes datas, 25 de Maio (Dia de África) e 28 de Maio (seu aniversário), José Craveirinha declamando o seu poema "Grito Negro".

terça-feira, 26 de maio de 2009

Dia de África


A 25 de Maio de 1963, 32 líderes africanos reuniram-se em Adis Abedba, Etiópia, para discutir a questão do colonialismo. Foi criada a que hoje é conhecida por OUA (Organização da União Africana) e esta data foi instituída pela ONU, em 1972, como o Dia da Libertação. Atualmente a data além de celebrada pelos países africanos, é usada pelos mesmos para nela se avaliar os avanços atingidos no continente e o que ainda precisa ser buscado.
Estando eu no Brasil e saber o quanto este país deve a África, penso o quanto se fica mudo por estes lados nesta data tão importante. Como exceção o III FESMAN - III Festival Mundial de Artes Negras, um encontro cultural e das artes negras, em Salvador, Bahia, onde o Presidente do Senegal Abdoulaye Wade e o Presidente do Brasil aproveitaram para realizar um encontro onde também trataram de assuntos bilaterais. Muito pouco para um país onde a negritude não fica restrita à Bahia por mais que seja este um Estado que concentre e mantenha muitas das tradições que vieram com a imigração “forçada” africana.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Neonazismo brasileiro

Foto daqui...

Depois da morte do casal de namorados em Curitiba por companheiros neonazistas, após festa organizada por uma das vítimas em homenagem ao aniversário de Adolf Hitler (ler aqui), um dos envolvidos no crime, o gaúcho Jairo Fischer, de 21 anos, foi identificado como o líder do grupo neonazista do Rio Grande do Sul denominado de Neuland.
As investigações começam a mostrar que uma rede de grupos neonazistas nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, envolvendo ainda um grupo no país vizinho da Argentina, estariam envolvidos em mais de 10 homicídios nos últimos sessenta dias.
Há que se dar atenção à evolução deste movimento e agir duramente sobre o mesmo, pois já fica claro que se está a sair de um já crime que é o da propagação de ideais racistas, para em cima destes ideais se executar assassinatos .
Ler reportagem no Jornal Globo, aqui.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Quebrando promessas

Barack Obama 1 - começou a semana posicionado-se contra a divulgação de imagens que mostrem abusos contra prisioneiros de guerra com a justificativa que as mesmas representam um risco aos soldados americanos no exterior.



Barack Obama 2 - teminou a semana reativando o sistema de tribunais de Guantánamo para julgar estrangeiros suspeitos de crimes de terrorismo.




Quebra assim promessas da sua campanha nas últimas eleições presidenciais onde estas promessas ajudaram a criar a sua atual imagem de um quase extra-terreno.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Micheliny Verunschk entrevista Mia Couto


A simpatiquisima e grande poetisa brasileira Micheliny Verunschk entrevistou o poeta e contista moçambicano Mia Couto.

Entre outros blogues, Micheliny tem a "Ovelha Pop", que faz já muito tempo que consta na minha pequena seleção de link´s de blogues à direita, e hoje, em uma das minhas visitas regulares ao seu espaço, percebi lá que havia entrevistado o renomado escritor moçambicano.

Pelo interesse na entrevistadora, e claro, pelo entrevistado, fui de imediato ler a entrevista " O escritor é um fazedor de viagens" e confirmei o que é óbvio; Uma boa entrevista se faz de um bom dueto, entrevistador e entrevistado.

domingo, 10 de maio de 2009

Brasil e Guiné-Bissau

Iano Tagme Na Waie, filho do general Na Wai, chefe do Exército da Guiné-Bissau morto em atentado no início de Março deste ano, que resultou em um segundo atentado no dia seguinte contra o presidente deste país, João Bernardo Vieira o que acabou também por resultar a morte do mesmo, está participando de um curso militar na Academia Militar das Agulhas Negras do Exército Brasileiro.
Hoje Iano foi tema de uma das principais reportagens do programa dominical “Esporte Espetacular” da TV Globo.
Além da alegria de participar da seleção de futebol da Academia, Iano fala da morte do seu pai, acusa o falecido João Bernardo Vieira de envolvimento com o tráfego de drogas, e por isso de ser o mandante do atentado contra o seu pai e da reação dos militares matando o presidente, fala das suas pretensões quando da sua volta à Guiné, e mostra que a Guiné poderá ter nele um homem a ter como exemplo.
Indico a que seja vista a reportagem na sua integra.


A minha Mãe

Clique com botão esquerdo do mouse sobre a imagem para a aumentar...

Hoje se festeja no Brasil o Dia da Mãe. E se há mentira é a tal afirmação que Mãe só existe uma. Mas não mentirei se afirmar que não consigo ver uma Mãe mais mulher, mais representativa, que melhor substituiu a ausência de um Pai, conseguindo o manter presente mesmo após a sua morte, do que a minha Mãe.
Para a homenagear deixo aqui uma crônica do grande Poeta moçambicano José Craveirinha, seu grande amigo, que a escreveu em 1972 reagindo a uma carta que recebeu da amiga que recentemente havia enviuvado, aos 47 anos de idade, e que acaba por representar bem uma nova etapa da Madalena, leoa, que deixava a sua própria vida de lado para lutar por nós, filhos.
Na primeira foto, no final da década de 60 com o seu companheiro, o jornalista luso-moçambicano Gouvêa Lemos, e na segunda foto, poucos dias antes de falecer em 2000, aos 76 anos de idade, no hospital onde usou nos seus últimos anos o seu conhecido espírito de solidariedade como voluntária em uma enfermaria infantil de queimados, em Curitiba, Paraná, Brasil.
Da crônica do José Craveirinha destaco as palavras: “Note-se o estoicismo (“mas agora vivo no meio da miúdagem”) humilde e no espírito maternal os termos em que sua vida tem outra dimensão: antes e depois do Brasil. Antes e depois porque pesava 82 e agora pesa menos 13 quilos? Não! Mas sim porque isso são as suas etapas terríveis. As etapas de um calendário inesquecível: partir esposa e voltar somente Mãe.
E ao mesmo tempo a coragem. O não virar a cara ao infortúnio. O amoldar-se à nova situação. ; preencher ela mesmo o seu próprio vazio interior.; fazer da sua solidão uma razão de luta. Porque os filhos permanecem. Porque os filhos garantem a tribo e através deles está Ele, sempre Ele presente.”

Obrigado Madalena, pela Mãe que foste.

Um beijo pelo seu Dia.

sábado, 9 de maio de 2009

Racismo, por Chico Buarque

Palavras de Chico Buarque sobre o racismo no Brasil que devem ser refletidas pela sociedade brasileira, e não só.
Ainda que elas tenham sido ditas já fazem mais de um ano, infelizmente não ficam fora de tempo coloca-las em evidência, especialmente quando a luta pela liderança de grupos neonazistas aparecem na mídea brasileira.
Relembrando a morte do casal de namorados que havia organizado uma festa em comemoração ao aniversário de Adolf Hitler, chegou a notícia que além da investigação do crime de assassinato, a polícia também está investigando paralelamente o movimento neonazista (notícia aqui) a que as vítimas e suspeitos estão envolvidos.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Atentado a Cahora Bassa ou atentado à informação transparente?

Foto daqui


Através do competente blog Diário de um Sociólogo, do Carlos Serra, fiquei sabendo que a Hidroelétrica Cahora Bassa de Moçambique havia sofrido um pressuposto atentado.
Li depois, porque um amigo me enviou “recortes”, nas edições digitais dos jornais “Mediafax” e “Diário Independente” de hoje, 06/05/09, sobre este fato, e fico achando se o atentado não é a forma como o Comando Geral da PRM de Moçambique passa uma informação nesta terça-feira de um acontecimento que se passou já fazem 7 dias e cheia de “senões” .
Ora vejamos: falam em 500 kg de produto não identificado, mas antemão já sabem que é corrosivo ao ferro e ao betão. Teriam sido os detidos que lhes contaram os tais efeitos corrosivos? E não lhes disseram que produto é? Teriam contado os efeitos corrosivos mas não houve qualquer colocação dos quatro, ou de pelo menos um dos detidos, sobre as motivações de estarem despejando a tal substância ? Ou a dica que deram não é de tanto impacto quanto gostariam que fosse? Ou talvez seja mesmo segredo de investigação e seja eu mais um a reagir com a imaginação fértil como a que já se vê por aí nos visitantes da blogosfera?
Já há quem tenha a certeza que existam interesses claros nos portugueses em provar a incapacidade moçambicana em administrar este empreendimento, o que sabemos que os moçambicanos já pagaram com suor e lágrimas e agora em dólares. Talvez faça sentido aí o envolvimento de um profeta nesta missão. Tenha ele já visto que os poucos que ainda não acreditam na competência dos moçambicanos em pouco tempo terão as provas definitivas para se convencerem desta capacidade moçambicana de administração da hidroelétrica, e para isso há que criar situações para mudar os caminhos do destino.
Fica então a minha projeção para este grupo terrorista, sendo o seguinte: O português hoteleiro é o líder do grupo, mas ao contrário do que muitos pensam não tem como maior objetivo provar que os moçambicanos não têm capacidade de administrar o negócio Cahora Bassa e sim garantir o seu negócio de eco-turismo com jantares à luz de velas. O profeta sul-africano é o seu assessor para assuntos aleatórios, inclusive das adivinhações...mas falhou ao não prever que seriam detidos. Parece que já perdeu o emprego. O twsana piloto militar estaria também interessado em negócios de aviação de pequeno porte, onde só poderia decolar e pousar em dia claro. O alemão, um ex-militar, é o responsável pela ONG que financia o grupo para destruir uma das obras responsáveis pelos abalos sísmicos no sul do continente africano.
Mas com tudo isto, em um assunto tão sério, que ao ser noticiado tão tardiamente, e ao que parece nem a administração da Cahora Bassa conhece bem os fatos, embora digam que parte do material apreendido está no laboratório desta, espera-se que as informações complementares venham logo à tona sem distorções políticas e com toda a transparência necessária para que a população possa digerir bem a notícia e depois saber como lidar com o facto. E em quanto as informações tão necessárias não estiverem disponíveis, que haja serenidade, paciência, pouca xenofobia (ou nenhuma), como também pouco contra ataque barato à xenofobia, e principalmente cobrança das autoridades sobre a evolução do caso, para então se poder ter alguma conclusão.

domingo, 3 de maio de 2009

Mengo

Mengoooooooooooooo !!!
Tri-Campeão Carioca !
Vou buzinar, vou festejar...

A decisão ficou nos penaltis e o goleiro Bruno é nosso.

03 de Maio, Dia da Liberdade de Imprensa

Liberdade de Imprensa é uma garantia de liberdade de expressão de um povo em uma democracia que se quer plena. Para isso há que se exigir da imprensa que tenha responsabilidade ao usar essa liberdade, na busca e na garantia dessa democracia, seja política, econômica e social.

sábado, 2 de maio de 2009

Skinheads em versão brasileira

Skinheads suspeitos de participarem do assassinato do líder do grupo no Paraná
Imagem da Gazeta do Povo

Na madrugada de 21 de Abril, um casal de namorados, universitários, foi morto a tiros na região metropolitana de Curitiba. Ele líder regional do Paraná, Brasil, de um movimento neo-nazista, havia organizado um encontro de skinheads em Curitiba, onde residia, para se festejar o aniversário de Adolf Hitler a 20 de Abril.
Apareceram logo em vários sites neo-nazistas pelo mundo mensagens de apoio e de idolatração aos novos “heróis” mortos e pedindo justiça, pois afinal tinham assassinado duas pessoas apenas por sua visão política, um assassinato por ódio.
A mídia curitibana dá espaço para se falar da personalidade pacata da universitária que foi morta e da provável intelectualidade e inteligência do rapaz morto...
O que se pode esperar é que a mídia mostre que não pode haver inteligência onde se defenda o racismo e o preconceito de qualquer natureza. É preciso alertar que o ser pacato pode até parecer sinônimo de ingenuidade, mas também de estratégia.
Sinto muito pelas famílias envolvidas, que muito possivelmente nem estivessem em sintonia com que os filhos estavam envolvidos.
Agora há que, como os amigos das vítimas pediram, esperar que aconteça justiça, e que começando pelo seu grupo, das vítimas e dos tais amigos, se identifique os criminosos; tanto dos que fazem sangrar ou induzem a tal, tanto dos que cometem crimes sociais como a discriminação racial, sexual e social. Afinal, como já se apontava, quem matou o casal foram próprios skinheads, da liderança nacional, preocupados com a nova liderança que se formava em Curitiba.

Para ler sobre este crime, acesse aqui e aqui.